Topo da Página
Portal de Acessibilidade do RS
Secretaria da Justiça e dos Direitos Humanos
Início do conteúdo

Você está em: Página Principal » Notícias e Informes » Cegos e cegos

Cegos e cegos

27/08/2013

Seguidamente é vinculado na imprensa textos, informativos de como proceder ao encontrar um deficiente visual. Todavia, cada individuo tem seu modo especifico para um melhor relacionamento no cotidiano e comigo não poderia ser diferente.

Por essa razão, se me encontrar é importante que o interessado a dirigir-me a palavra ponha-se de frente e identifique-se, dizendo o nome completo. Durante uma conversação, me avise se resolver ausentar-se, pois ficar falando ao vento não é nada agradável. Caso tiver apenas o desejo em cumprimentar-me, chame-me pelo nome. Bom dia Jair, sou o Pedro. Você continuara seu caminho com a certeza da comunicação perceptível.

A caso precisar ser meu guia em algum momento, coloque a minha mão no seu cotovelo. Poderei então acompanhar o movimento do seu corpo enquanto você vai andando. Porventura as minhas mãos estiverem ocupadas, ande ao lado, pois eu irei orientar-me pelos seus passos, ou pela sua voz.

Avise antecipadamente a existência de degraus, tapetes, pisos escorregadios, buracos, placas e obstáculos em geral.

No subir e descer escadas faça com que eu toque o corrimão. Já para sentar, faça notar o acento, fazendo com que eu toque o encosto da cadeira ou poltrona e deixa-me sentar por conta própria.

Ao explicar-me direções, seja o mais claro e específico possível. Oriente-me dizendo a sua esquerda, direita. Indique as distâncias em metros:
uns vinte metros a sua frente
dois a esquerda
um metro a sua direita
Metros são padronizados, já passos dependem do caminhar de cada pessoa.

Ao conversar não grite, fale em tom normal, a não ser que um dia também tenha um problema auditivo que justifique
tal atitude.

Gosto quando fazem perguntas a mim e não a pessoa ao lado. Acredito que ninguém deseja ser visto como algo imperceptível.

Dica: Eu não tenho, mais no caso de encontrar um cego sendo conduzido por um cão-guia, saiba que esses cães têm a responsabilidade de conduzir um dono que não enxerga e nunca deve ser distraído da função para qual foi treinado.

Apreender a cortar a barba, arrumar a própria roupa são tarefas importantes. Eu comecei o cortar a barba aos quatorze anos, com um aparelho comum, não era fácil, precisava colocar uma gilete e prensá-la com palitos, mas do decorrer do tempo aprendi a utilizar o ge dois. Já com arrumação de roupas, as costuras, etiquetas, botões, estampas passaram a servirem de referencias.

Sobre cursos, eu sempre orientei o docente ou algum colega a gravar antecipadamente, o conteúdo de cada aula. Hoje em dia existe tantos recursos, capazes de aproximar alunos e professores de modo satisfatório. Nas exibições de imagens descreva para que eu tenha uma noção do que esteja sendo exibido.

Minhas maiores dificuldades acontece quando encontro entulho, carros, motos, bicicletas placas sobre as calçadas e venezianas e portões abertos.
Quero crer que num tempo curto as pessoas se conscientizem e passam a evitarem tais obstáculos.

Um problema que encontro seguidamente é o motor ligado de carros estacionados e preciso me orientar através da audição. Com o motor sonoro fica difícil saber se outros carros estão por chegar. Outro problema é a ausência de sistema sonoro em garagens, para alertar entradas e saídas de carros.

Em banheiros públicos, sinto-me mais seguro ao saber da existência de pisos ante derrapantes e adaptado com barras de apoio. Se houver intenção em dar-me carona, o carro deve ser estacionado rente ao meio fio e minha mão colocada sobre a porta do veículo, automaticamente eu irei orientar-me.

Num estabelecimento comercial, gosto que o atendente faça com que eu toque o que desejo comprar, sempre me encarando, pois seu timbre de voz, vai ajudar a decidir pela compra.

No caso de ter que fornecer-me troco, coloca as notas na ordem crescente e dobrado uma vez.

Como é bom ao precisar de agências bancarias e zonas eleitorais e encontra adaptadas de modo a nos incentivar ao retorno. Um sintetizador, fone de ouvido ou o sistema Braille faz uma grande diferença.

Procuro sempre que é possível, solicitar as adequações necessárias aos responsáveis pelos estabelecimentos públicos e privativos.

Com um leitor de tela ou um sistema operacional compatível as necessidades, o deficiente visual pode nos dias de hoje interagir com o mundo virtual de forma satisfatória. Existe o Dosvox, NVDA e o Virtual Vision e todos esses programas são gratuitos.

Nunca use expressões, dinheirinho, comprinha, coitado, que pena, aleijado, imagine-se, ser essa pessoa ouvindo tais expressões e compreendera o quanto tais palavras podem machucar.

No caso na família tiver um recente cego e não souber como proceder para ajudá-lo peça a outro cego, nada melhor que outro para conseguir as respostas que desejas. A organização é de extrema importância. Minha esposa sempre que tira um item do lugar, volta a colocar no lugar, pois caso contrário, eu ficaria perdido como um vidente quando falta
energia elétrica em sua casa.

Quando atendo um convite, espero que o amigo me apresente a casa, pois gosto de tocar no máximo dos objetos, para ter uma noção do ambiente, onde me encontro.

Como me servir?
As porções devem ser em pequenas porções divididas no sentido horário. Fique próximo, de forma que a expressão corporal, condiz com os dizeres, então o oriente-me, as 12 está o feijão, as 15 o arroz, as 18 a alface, as 9 a maionese e ao seu lado direito, os talheres guardanapos e copos.

Superação:
Quando um familiar fica cego praticamente a família fica também, mas com o tempo, vão vendo que não é um bicho de sete cabeças, só precisam diminuir a super proteção, pois lembrem-se que todos nós um dia iremos fazer a grande viagem e quem fica precisa estar preparados para continuar a caminhada.

Eu decidi por conta própria o uso da bengala, lentamente fui conhecendo a calçada, o terreno até chegar às ruas.
Sabendo de antemão das cobranças, orientei minha família a perguntar a quem questionasse minha decisão em sair por conta e risco. Caso viesse falecer meus pais a quem eu iria recorrer?

Dicas:
Nunca deixe de contribuir com a previdência e de votar. O voto porque garante nossa participação nas decisões
do país e a previdência garante recursos para velhice.

Existe leis, portarias, resoluções e emendas que beneficiam as pessoas com deficiências, em muitos casos representantes de entidades buscam a pratica dessas leis, mas se na cidade não houver uma representação, podemos procurar a câmara de vereadores, prefeito, a promotoria publica ou o ministérios públicos compatíveis com cada seguimento. Eu procuro sempre manter-me informado, pois se temos deveres, porque não fazer valer nossos direitos?

Proporcione-me a mesma chance que você tem de ter sucesso ou de falhar no dia a dia.

Curiosidades:
Sons, vento, frio, calor, aromas, paladares, relevos e timbres são pontos para minha orientação. Utilizo uma bengala em virtude do problema da locomoção e outra para o palpar do caminho. Uso óculos por estética e proteção, pois uma simples folha pode provocar grandes danos. Um Cidadão bem informado é alguém preparado para novas conquistas.

Jair Coser.
Contatos:
E-mail em sistema de lista: jair.coser@yahoo.com.br

Página anterior | - | Voltar para o topo da página





Fundação de Articulação e Desenvolvimento de Políticas Públicas para Pessoas com Deficiência e com Altas Habilidades no Rio Grande do Sul - FADERS
Rua Duque de Caxias, 418 - Bairro Centro - Porto Alegre/RS - CEP: 90.010-280
Telefone/Fax: (51) 3287-6500 - faders@faders.rs.gov.br - Todos os direitos reservados.