Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos
Início do conteúdo

Primeiras Cipteas são entregues no RS

Em solenidade, governador Eduardo Leite e presidente da FADERS, Marquinho Lang, destacaram importância do documento

Publicação:

Seis pessoas, todas usando máscaras, estão sentadas em cadeiras lado a lado com cerca de um metro de distância uma da outra. Em primeiro, plano, sentado sobre uma cadeira de rodas, o presidente Marquinho Lang segura um microfone.
Marquinho Lang explicou como a Ciptea beneficiará pessoas com autismo

Da esquerda para direita: em pé, a secretária Regina Becker; sentado sobre cadeira de rodas, o presidente da FADERS, Marquinho Lang; agachado, o governado Eduardo Leite, entre a Ciptea para a menina Luiza e sua mãe.
Luiza, 3 anos, recebe a Ciptea do governador Eduardo Leite
Da esquerda para direita: sentado sobre cadeira de rodas, o presidente da FADERS Marquinho Lang; agachados, a secretária Regina Becker, o governador Eduardo Leite, o menino Antônio e seus pais.
Antonio, sete anos, e seus pais receberam o documento.
As três primeiras Carteiras de Identificação da Pessoa com Transtorno do Espectro do Autismo (Ciptea) foram entregues na tarde desta segunda-feira (17), em solenidade no Palácio Piratini. Após o anúncio dos primeiros centros macrorregionais de referência em TEA, sediados em Pelotas, Cachoeira do Sul e Santa Rosa, e o lançamento de edital para a implantação de centros regionais do Programa de Atendimento a Pessoas com TEA (TEAcolhe), o governador Eduardo Leite, a secretária de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Regina Becker, e o presidente da FADERS Acessibilidade e Inclusão, Marquinho Lang entregaram os primeiros documentos para Antônio Luiz Fernandes Pinto Moraes (7 anos), Luiza de Vargas Castagnino (3 anos), e Isabelle Mengotto Tavares (15 anos).

Quatro pessoas aplaudem a entrega da Ciptea pelo governador Eduardo Leite a menina Isabelle e sua mãe.
Isabella, 15 anos, recebeu uma das primeiras Cipteas do Estado

Há cerca de um mês, pessoas com TEA ou responsáveis podem preencher o formulário solicitando gratuitamente o documento no site da FADERS. Neste período, foram recebidos mais de 1,1 mil formulários. Já a partir desta semana, as primeiras Cipteas serão encaminhadas aos locais indicados pelas pessoas com autismo. Marquinho Lang ressaltou que a disponibilização da Carteira de Identificação é muito significativa para a comunidade de pessoas com autismo, já que facilita o acesso aos serviços de saúde, assistência social e educação, entre outros. “Essa é uma conquista muito importante para todas as pessoas com TEA e para todos os seus familiares. Ela atende as exigências da Lei Romeu Mion (Lei Federal 13.977/2020) e vai além, com um QR Code em cada documento que permite o acesso a dados como o tipo sanguíneo, o endereço residencial e até o contato com responsáveis. Trabalhamos muito para entregar este modelo de carteira que, pode ter certeza, é a melhor do Brasil”, destacou.
Na mesma linha, o Governador Eduardo Leite salientou que a implantação da Ciptea, aliada aos Centros de Referência em TEA, vão garantir melhor atendimento às pessoas com autismo. “A identificação é fundamental para que a gente tenha melhor alcance de onde estão, qual a situação de cada pessoa e, assim, para que possamos ajustar a política pública ao tamanho, à necessidade, às especificações daquilo que é necessário para cada uma das nossas cidades e regiões aqui do Estado.
É a Ciptea associada a uma política pública bem estruturada como nós temos aqui que vai garantir pra todos o atendimento digno que a gente quer para o nosso Rio Grande”, destacou.
Também participaram da solenidade a secretária de Saúde, Arita Bergmann, o secretário-chefe da Casa Civil, Artur Lemos, a prefeita de Pelotas, Paula Mascarenhas, e o deputado estadual Sergio Peres.

FADERS